Vinho do Porto

O que torna o Vinho do Porto um marco nacional tão especial? Descubra na Dica de Nutrição o que diferencia este produto nacional de outros vinhos comuns e com diversas origens.

O Vinho do Porto, apesar de partilhar os mesmos benefícios com o vinho comum, apresenta outras desvantagens. Nesse sentido, é aqui recomendada uma maior atenção relativamente ao seu consumo.

O vinho é uma bebida alcoólica produzida através da fermentação do sumo da uva, também conhecido por mosto. A ação dos microrganismos no processo é responsável pela transformação dos açúcares da fruta em álcool etílico.

Vinho do Porto

Espreite também:  Comida Picante - Sim, mas Qb!

Como resultado, temos uma bebida composta por água (85 a 90%), álcool (7 a 24%), ácidos e açúcares provenientes da uva. O valor de álcool pode variar entre os diferentes tipos de vinho, geralmente entre 10 e 15%. Em vinhos mais fortificados, pode atingir valores superiores a 20%. Neste último grupo incluem-se os célebres Vinho do Porto e Vinho da Madeira.

Por sua vez, o consumo do vinho comum deve ser feito em quantidades moderadas. A recomendação é assim de 1 copo (100 a 150ml) duas vezes ao dia. Do mesmo modo, o consumo deve ter lugar às refeições e não fora destes momentos. Há que não esquecer ainda que quantidades elevadas de vinho acarretam inúmeros problemas e consequências a vários níveis.

 

Benefícios e Malefícios

O vinho é rico em diferentes componentes benéficos para a saúde, como por exemplo:

Flavenóides: asseguram uma ação anti-inflamatória e antioxidante, auxiliando igualmente na redução do risco de determinadas doenças cardiovasculares como a arteriosclerose e a trombose;

Resveratrol: promove um aumento do HDL (bom colesterol) e ainda exerce ações anticancerígenas, antivirais e anti-inflamatórias;

Procianidas: aumentam a resistência das fibras de colagénio, exercendo então um efeito protetor sobre a parede dos vasos sanguíneos.

Entre os malefícios do seu consumo em excesso, encontramos diversas consequências que afetam diferentes pontos do organismo. Para além de dores de cabeça, enxaquecas e distúrbios do sono, o consumo excessivo de álcool aumenta ainda o risco de comportamentos violentos.

Por outro lado, a dificuldade no controlo de peso e a hipertensão são também consequências do consumo excessivo de álcool, já que cada grama de álcool tem 7 kcal. Problemas de fertilidade, pancreatite aguda, cirrose do fígado e algumas alergias encerram o principal conjunto de malefícios associados à bebida.

 

Valores Nutricionais

Vinho do Porto
Via: Nestlé
Espreite também:  8 Dicas para Compensar os Excessos do Natal

Através desta tabela, podemos analisar as principais diferenças entre vários tipos de vinho. Em conclusão, apesar dos benefícios previamente enunciados, o Vinho do Porto tem uma elevada quantidade de açúcares na sua composição (com 14 g de hidratos de carbono). Em contrapartida, o vinho tinto normal tem cerca de 0,2 g de hidratos de carbono. O Vinho do Porto fica assim em desvantagem relativamente aos restantes, uma vez que uma taça de vinho contém entre 150 e 200 calorias.

Este valor calórico acaba por ser difícil de medir e controlar. Para além da ingestão em líquido, as garrafas de vinho não apresentam rótulo nutricional, porque o álcool não está incluído na dieta quotidiana. A única alternativa para o controlo calórico passa assim pela conversão das gramas presentes no vinho para calorias. Um cálculo trabalhoso e pouco exacto, que deve ser então feito com base nos valores anteriormente referidos.

Leia mais artigos da Dica de Nutrição e de Treino e Suplementação no nosso Blog.

Post Author: Diogo Ventura